CONHECIMENTO

Desde 2020, a partir da pandemia de Covid-19, as empresas precisaram se adaptar e reformular em todos os sentidos. Mas em relação às pessoas, o impacto foi imensurável: mudanças bruscas precisaram ser feitas para que os colaboradores pudessem continuar trabalhando e mais que isso, fazendo isso em segurança.

Em 2021, muitas empresas imaginavam que as coisas estariam voltando ao normal, mas em alguns aspectos isso é impossível e algumas barreiras foram derrubadas para sempre.

A partir da Pesquisa ReimagineHR 2020, a empresa americana de consultoria Gartner analisou algumas das tendências que irão moldar o mercado de trabalho nos próximos anos a partir da pandemia. Listamos aqui as 4 principais:

1. Saúde mental em primeiro lugar

Não há quem não esteja sentindo na pele os efeitos da pandemia em relação à saúde mental. O medo de ficar doente, de perder o emprego ou pessoas queridas, toda a mudança e o impacto do isolamento social fizeram com que o bem-estar mental virasse também uma preocupação das companhias.

De acordo com a Pesquisa ReimagineHR 2020, nos EUA, em março do ano passado, 68% das empresas já haviam incluído algum benefício relacionado ao bem-estar de seus funcionários e essa deve ser uma tendência mundial cada vez mais presente.

2. Vida pessoal também importa nas companhias

No mesmo sentido da tendência anterior, ao passar a acompanhar mais de perto as necessidades e conflitos pessoais de seus colaboradores, as empresas acabaram conhecendo melhor a realidade dos mesmos para além do âmbito profissional. Com isso, também passaram a garantir maior suporte às suas experiências de vida.

E o resultado disso não é benéfico apenas para os funcionários: a pesquisa indica que empresas com esse tipo de ação registram 23% dos funcionários com melhor saúde mental e 17% melhor saúde física, além de um aumento de 21% no número de funcionários de alto desempenho em relação a empresas que não oferecem esse suporte.

3. Flexibilização de tempo

Se nessa corrida contra a resistência das empresas em adotar o home office, a flexibilização do local de trabalho acabou se tornando uma necessidade inadiável, o que vem pela frente é uma mudança ainda maior: a flexibilização do tempo de trabalho.

A pesquisa Gartner 2020 indicou que em empresas com carga horária padrão de 40 horas, 36% dos colaboradores apresentava alto desempenho, enquanto esse número sobe para 55% em locais que oferecerem maior flexibilidade de horários.

4. Apoio a causas sociais

Outro dado aponta como tendência uma maior necessidade de as empresas apoiarem causas sociais e culturais de forma engajada e verdadeira. Segundo a pesquisa, 74% dos colaboradores esperam que o empregador faça a sua parte nesse sentido.

A sensação de ter os valores da empresa alinhados com os pessoais também resulta em aumento de engajamento: o número de funcionários considerados altamente engajados sobre de 40% para 60% quando a empresa tem atuação em questões sociais.

Os últimos dois anos têm sido de muitas mudanças e aprendizados. Por isso, é importante que a sua empresa esteja atenta às tendências e consiga reter talentos ao antecipar as necessidades dos colaboradores e entender o que é possível fazer e quanto isso irá beneficiar a relação empresa-funcionário mutuamente.

Conheça 4 passos para sua empresa sair do operacional

Comente