Blog

neuromarketing-10-dicas

Como usar o Neuromarketing ao seu favor

Os estudos em Neuromarketing são extensos e já chegaram a conclusões valiosas acerca do comportamento humano sob estímulos publicitários. Você também pode utilizar estes exemplos para impulsionar seu negócio, adequando-os à sua esfera mercadológica.

dicas-neuromarketing

Conheça 10 conclusões obtidas através de estudos neurocientíficos no campo de marketing e comunicação:

 

1 – Invista em estímulos visuais:

A utilização de imagens é mais efetiva que a utilização de textos. Vídeos e fotografias relacionadas ao assunto abordado facilitam a compreensão e influenciam na persuasão. O uso de estímulos visuais que sintetizem uma mensagem são mais eficazes, tornando mídias sociais essencialmente visuais (Instagram, Pinterest, etc.) excelentes veículos de transmissão e influência.

 

2 – Rostos e olhares são atrativos confiáveis:

A presença de rostos de pessoas, especialmente sorrindo, funciona como um gatilho atrativo em materiais publicitários. A inserção de pessoas sorridentes desperta interesse e confiabilidade, atraindo a atenção do público.

 

3 – Invista na embalagem:

Uma embalagem esteticamente atraente pode ser mais efetiva que o produto em si. Estudos de neuroimagem (observação da atividade cerebral durante a exposição a determinada figura) concluíram que consumidores são atraídos por embalagens de tons vibrantes e materiais brilhantes. Pacotes que indicam componentes naturais estão entre as opções mais rejeitadas.

 

4 – Transmita mensagens através das cores:

As cores estão diretamente conectadas a uma extensa gama de emoções. À primeira vista, 62% da percepção do cliente acerca no produto se dá pela tonalidade. Quando compreendidos, os “significados” relacionados às cores podem auxiliar no desenvolvimento da logo, do website, do produto e da embalagem.

 

5 – Na hora da decisão, menos é mais:

Uma quantidade exacerbada de opções dificulta a escolha e dispersa o consumidor, que acaba não optando por nada. No Neuromarketing, essa reação é denominada “paralisia de decisão”. Por outro lado, um número reduzido de opções resulta em escolhas mais assertivas.

 

6 – O medo da perda impulsiona a compra:

A escassez de determinado produto funciona como um gatilho impulsionador de compra. Produtos exclusivos e limitados, quando anunciados desta forma, ativam no consumidor a reação temerosa à perda, impulsionando a tomada imediata de atitudes.

 

7 – Aplique sua estratégia aos layouts On-line:

Além das cores, fatores como fontes e layout influenciam possíveis decisões de compra. Outros aspectos de influência incluem a disponibilização de depoimentos de clientes, certificações e widgets sociais. Layouts verticais também são mais eficazes no engajamento, pois incentivam a rolagem da página.

 

8 – Confie no cliente:

A demonstração de confiança à primeira vista contribui no processo de construção de relacionamentos e, consequentemente, de um público fiel. Quando demonstrada, a confiança tende a gerar reciprocidade e correspondência – confie no cliente e ele provavelmente confiará em você. No marketing, a confiança pode ser manifestada através de benefícios de compra: uma versão para teste de seus produtos, garantia, variedade de opções de pagamento, entre outros.

 

9 – Compare preços e apresente vantagens:

O preço é fator fundamental na hora da decisão de compra. Quando comparado – aos preços do concorrente, aos preços pré-promoção, aos preços individuais (no caso de combo), entre outros – a probabilidade de compra é maior. Um preço acessível e visivelmente reduzido oferece ao cliente a sensação de vantagem e gratificação. Brindes funcionam da mesma forma.

 

10 – Repita:

Uma vez estabelecidos, padrões como slogans, cores e fontes devem ser reutilizados, mantendo-se fieis à ideia inicial. A repetição, além de fazer parte da fixação da identidade de marca, chama a atenção do consumidor.

        Dadas as dicas, cabe ao administrador desenvolver a própria estratégia de marketing, adequando-a ao próprio setor. Acompanhe nossa série sobre Neuromarketing e saiba como tirar este método do papel:

Comente

Você tem fome de conhecimento? Assine!