CONHECIMENTO

posicionamento-de-uma-ilha

Como a Jamaica movimentou o turismo regional

Quando o regime econômico da Jamaica mudou, dando espaço a investimentos e aplicações capitalistas, o turismo foi a alternativa encontrada pelo governo para movimentar o comércio local. O que estimulava discussões de governantes em torno do tema, depois de encontrada a solução, consistia na tática de comunicação utilizada para promover o turismo, dado que o destino não era tão popular entre visitantes internacionais.

A primeira abordagem utilizada, que consistia na promoção de pontos turísticos através de cartões postais, mostrou-se pouco efetiva. As imagens, apesar de atrativas, não eram fortes o suficiente para capturar a essência da ilha – nem, tampouco, embasar um posicionamento suficientemente marcante. A Jamaica precisava de uma solução rápida, mais inteligente e que fosse, de fato, efetiva.

O estalo conjunto da equipe de marketing deu-se a partir da análise do potencial turista. Rica em belezas naturais, contornada por montanhas vulcânicas que terminam no mar azul, a Jamaica já lembrava um destino extremamente comum entre os estrangeiros – o Havaí. Grande parte dos possíveis turistas mantinham um cenário Havaiano de praias paradisíacas em suas mentes.

posicionamento-de-uma-ilha


Como a comunicação mudou?

Após desvendado, o ponto de fuga deu à Jamaica uma grande vantagem comunicativa. Para quê gastar tempo e recursos financeiros com o desenvolvimento de um novo posicionamento quando o posicionamento já existe – e está muito bem localizado – na mente do público? As imagens do Havaí conquistam estrangeiros há décadas, tornando o estado um dos destinos mais procurados por turistas todos os anos.

A inteligente alternativa jamaicana para esquivar o problema resultou no posicionamento selecionado definitivamente pelo governo: “Jamaica: O Havaí do Caribe”. Além da recorrência a uma imagem positiva e bem posicionada na mente do potencial turista, a Jamaica conta com vantagens geográficas: a “proximidade” da América do Sul, da América do Norte e da Europa. Um pedaço do Havaí muito mais perto de casa.

A alternativa, portanto, consistiu na utilização inteligente de um posicionamento existente, fixo, positivo e de longa data. Engajar a Jamaica à imagem havaiana entregando ao público uma vantagem geográfica bônus foi a cartada final do governo Jamaicano no processo de posicionamento.

Uma solução inteligente de desvio – e não enfrentamento direto da concorrência – proporcionou, além de uma estratégia de comunicação com menos gastos, a recuperação gradual do comércio local.

Comente