Blog

como-funciona-o-neuromarke

Como a neurociência pode impulsionar suas vendas

Com clientes amplamente exigentes públicos cada vez mais segmentados, é essencial buscar técnicas que se adequem à mente do novo consumidor, compreendendo e suprindo suas necessidades. Considerado por estudiosos e teóricos de comunicação o “futuro do marketing”, o Neuromarketing une ciência e técnicas publicitárias com a finalidade de captar e alcançar a mente do cliente com objetividade.

neuromarketing

“Neuromarketing” consiste na união dos termos “marketing” e “neurociência” (o estudo científico do sistema nervoso). Através do Neuromarketing, somos capazes de analisar o rumo racional de um potencial cliente: por que ele escolheu determinada marca? O que o torna fiel a ela?


Para compreender os princípios do Neuromarketing, partimos de três preceitos cerebrais fundamentais na neurociência:

  • Cérebro Reptiliano: Âmbito cerebral responsável por sentimentos primários e de sobrevivência (batimentos cardíacos, respiração, fome, raiva).
  • Cérebro Límbico: Âmbito cerebral responsável por emoções complexas e sensações relacionadas aos cinco sentidos (tato, olfato, visão, audição e paladar).
  • Neocórtex: Âmbito cerebral responsável pela tomada de decisões racionais e interação social.

No processo de alcance ao Neocórtex (tomada da decisão, compra), os demais âmbitos atuam como receptores primários da informação, ou seja, os campos Reptiliano e Límbico são os primeiros impactados pelas estratégias de marketing.

Quando compreendidos, os impulsos e motivações podem auxiliar no processo de segmentação de marca, apontando estratégias de marketing efetivas. Na esfera comunicacional, o Neuromarketing pode ser usado para:

  • Desenvolvimento de Branding: Processo de criação e posicionamento de marca, seleção do público alvo e de preceitos mobilizadores.
  • Design de Produto: Formato, apresentação, embalagem e design do que será vendido.
  • Estratégia Publicitária: Desenvolvimento de campanhas publicitárias efetivas, diretas e atrativas.
  • Estratégia Web: Criação de plataformas online com capacidade de persuasão e incitação de interesses.
  • Ponto de Venda: Elaboração e composição de um ambiente que propicie e motive o consumidor a tomar decisões, optando pela compra.

A compreensão e identificação de comportamentos cerebrais é essencial para o desenvolvimento de produtos e estratégias de venda objetivas, que podem estar relacionadas a estímulos como cores, símbolos, odores e até mensagens subliminares – desde a cor da embalagem, até o cheiro do ponto de venda.

Entretanto, como decidir o que será efetivo para que seu público alvo tome decisões positivas acerca de sua marca? Como começar? Que estímulos provocar? Quem persuadir? Acompanhe nossa série sobre Neuromarketing:

Comente

Você tem fome de conhecimento? Assine!